RIO DE JANEIRO, SIGO TE AMANDO – PARTE 2

Categorias rolês

Quem me conhece sabe que coisas absurdamente improváveis sempre acontecem comigo. No Rio, CLARO que não foi diferente. Deu sol e 40 graus o mês inteiro, o nosso final de semana foi o diferentão da chuva e céu fechado.

Só que, veja bem meu bem, havia uma mensagem subliminar nesse azar. O Pão de Açúcar que estava programado para sexta-feira, tivemos que alterar para sábado por conta do tempo. Vocês não vão acreditar, nesse dia era o fucking aniversário do lugar e pagamos meia entrada. Explica essa ateus. Como se não bastasse, deu sol a todo momento que estávamos lá em cima. Descemos e o dia nublou.

Mas vamos ao que interessa.

Eu morro de medo de altura. Pensa no meu estado para entrar naquele bondinho. Fiquei no meio segurando a mão da minha amiga com as pernas tão bambas que quando descemos eu nem sabia andar direito.

Mas, o sentimento de estar lá em cima é inexplicável. O lugar é incrível, uma energia e uma paz que te consome por inteiro. Ah, fica a dica: bebam uma caipirinha antes de tudo começar, porque depois disso eu desci com o rosto colado no vidro falando “Fabi, olha isso, eu to olhando pra baixo e encostando no vidro”.

img_3098

vsco-photo-1

img_3088

vsco-photo-2

Você pode descer do Pão de Açúcar e curtir a Praia Vermelha, que não te decepciona em questão de beleza:

img_3096

A gente seguiu caminho em direção ao Parque das Ruínas.
Villa-Lobos, João do Rio, Isadora Duncan e Tarsila do Amaral são alguns dos nomes que frequentavam esse lugar. Laurinda, proprietária da casa, era ativista na cena cultural e figura importante no bairro de Santa Tereza. É por isso que hoje, acontecem diversos eventos culturais no Parque das Ruínas, como maneira de manter viva uma causa pela qual Laurinda lutava tanto na época.

img_3092

img_3091

img_3090

Sério, esse lugar é incrível! Eu não tenho muitas fotos porque a bateria do celular tinha acabado. Só fiz alguns registros para não deixar vocês só na imaginação de como é o lugar. Mas eu acho que tenho algumas outras fotos na câmera analógica. Inclusive se tudo der certo na revelação dessas fotos, faço um post só com elas!

Dica: Ali pertinho, no mesmo bairro Santa Tereza tem um boteco incrível chamado Armazém São Thiago. Delícia de lugar, simples mas com uma decoração muito legal (queria muito ter fotos, peço perdão pelo vacilo). Façam como a gente fez: parou ali para almoçar e seguiu caminho ao Parque das Ruínas.

No domingo de manhã nos despedimos do Rio de Janeiro tomando um café no Parque Lage. Eu vou descrever com uma palavra: sensacional. O resto vocês podem concluir olhando as fotos:

vsco-photo-4

Processed with VSCO with hb1 preset

img_3097

img_3094

Incrível, né?

Eu não ia contar, mas a verdade é que eu quase caí nessa piscina para bater as fotos. Típico de mim.

Espero voltar muito em breve e poder escrever novos posts com lugares menos óbvios. Mesmo porque dá pra voltar ao Rio milhões de vezes e fazer diversos programas diferentes.

Se você já foi ao Rio de Janeiro, deixe nos comentários os seus lugares favoritos 🙂

beijin.

Deixa um oi aqui!