GORDA OU NÃO? UM DESABAFO SOBRE O LIMBO

Categorias você é linda!

Primeiro, assistam esse vídeo NEM GORDA, NEM MAGRA:

Uma vez, a empresa que eu trabalho fez uma ação com a Ju Romano e eu tive o prazer de conhecer ela pessoalmente. Pessoa iluminada, cheia de auto estima, simpática, incrível, gente com a gente sabe? E ela falou sobre esse assunto de não ser gorda nem magra, nomeando de limbo.

O número 42 muitas vezes fica pequeno. De vez em quando o 44 serve bem e também tem o 46 tem que ser todo modificado por uma costureira, uns ajustes aqui e outros ali. Não tem tamanho pra gente.

Esse vídeo me emocionou de diversas maneiras porque eu me identifiquei demais com a Hel Mother.

Não existe um dia que eu não pense quanta coisa seria melhor se eu fosse mais magra ou que eu não me culpe por comer algo com gordura. Eu até brinco com a situação, mas lá no fundo rola uma auto condenação por comer um hamburguer, por comer repetidos brigadeiros, e por aí vai. Inclusive, parece que quando eu como um omelete ou algo sem açúcar, sem gluten, sem lactose eu penso “hummm, olha eu aqui comendo isso super saudável, deveria ser sempre assim”.

A questão é que nunca me achei gorda. Eu me acho fora do padrão sim, mas não gorda. Só que eu sempre quis pernas mais finas. Sempre pensei que é melhor para comprar calças, saias, shorts jeans e por ai vai. Mas a realidade é outra: minha amigas magras de pernas finas também sofrem. (Cabe você ler o post que eu escrevi sobre a grama do vizinho ser mais verde, aqui)

TODO MUNDO É DIFERENTE. Tem magra que é super magra, tem magra que tem curva. Tem quadril, tem coxa, tem ombro, braços, barriga, peito e coxas que simplesmente não dá pra medir um padrão. São tantas características que se torna bizarro você querer se encaixar em um padrão. Parando para pensar: só mesmo se te derretessem e colocassem dentro de um molde para ficar como a sociedade diz que você deve ser.

Uma vez, em uma fase de super baixa auto estima eu ouvi de um ex parceiro “nossa, você só se preocupa em ser bonita e se tá gorda ou magra? Que fútil você é”. E isso fez com que eu me sentisse a pior pessoa do mundo, pensando “como assim eu to preocupada em me sentir bonita quando tem tantas outras coisas mais importantes, eu sou realmente muito fútil”.

NÃO!!!! Gente, não é futilidade você se sentir um lixo e querer ter um pouco mais de auto estima. Fútil é o seu parceiro que te empurra para o fundo do poço porque não é capaz de dizer o quanto te acha bonita.

Baixa auto estima te destrói por dentro e reflete em quem você é na sociedade: em casa, no trabalho, com a família e com os amigos. Você começa a se questionar se você é boa em alguma coisa e começa um loop na cabeça que é desesperador. Nessas horas você precisa de um apoio emocional dos amigos, da família ou do parceiro. Não pense nunca que isso é fútil, porque não se trata unicamente de você se sentir bonita por fora.

Hoje, eu me aceito muito mais do que antigamente. Hoje, eu me acho muito mais bonita do que antigamente. Hoje, eu vejo muito mais qualidades em mim do que antigamente. Isso porque hoje temos muito acesso à informação, como esse vídeo por exemplo. E é engraçado, porque sempre que eu vejo alguém nessa situação, falando esse tipo de coisa, eu penso “não, você é linda maravilhosaaaa”. Passa uns segundos e eu percebo que ando fazendo isso comigo também. Então, a gente tem que parar com isso. De se auto sabotar.

Eu sempre convivi com pessoas muito magras. Na escola, no trabalho, nas festas, no dia a dia. Eu sempre tentei me comparar em tamanho de coxas, bunda, peitos, etc. Eu sempre idealizei o que seria o ideal para eu ser feliz. Mas ser feliz não é ser magra, não é se encaixar no padrão da sociedade. Ser feliz é estar de bem consigo mesma, com quem você é.

A gente segue tentando e não desiste. São vídeos assim que dão forças para que a luta continue!

E esse foi mais um textão e o maior desabafo da minha vida. Sei que pessoas que eu conheço vão ler e pessoas que eu nunca vi também. Só espero causar um efeito positivo com isso e dizer: você não está sozinha, eu não estou sozinha. Somos muitas e vamos passar por isso.

Agora…

1. Relembrem esse GIF clássico:

2. Vejam essa foto:

3. Somem os dois e gritem pra si mesmas: EU SOU PLENAAAAAA

 

beijin.

Deixa um oi aqui!

1 comentário em “GORDA OU NÃO? UM DESABAFO SOBRE O LIMBO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *