Viajar sozinha é algo que eu nunca imaginei que faria.

Quem me conhece sabe que eu sempre dependi de alguém para fazer as coisas. Sempre quis companhia de amigos para tudo: entrar em bares, ir a festas ou mesmo viajar. ATÉ FAZER MERCADO.

Sempre me passou um mix de sentimentos: medo, vergonha de entrar num lugar sozinha e sempre achar que é muito melhor estar com alguém.

Eu estava em Hamburgo e queria muito conhecer Berlim, mas minha amiga não podia e eu só tinha aqueles dias para fazer isso. Recebi um super incentivo dela e eu sabia que isso seria incrível para mim.

Não deu outra, eu comprei os bilhetes e fui!

No começo, assim que eu cheguei lá, tremi as pernas e me deu um desespero do tipo “mas que caralho que eu to fazendo aqui”. Desci do ônibus e quando fui colocar o endereço do hostel, pá: minha internet tinha acabado. Eu estava do outro lado da cidade e ainda confusa com os transportes e tudo aquilo. Além disso: com muita vergonha de falar inglês.

A viagem foi o início de uma revelação para mim: o quanto eu posso aproveitar a minha própria companhia. Me levar para tomar uma cerveja, conhecer lugares novos e sim, falar inglês, pedir as coisas, fazer check-in, conhecer gente nova.

É maravilhoso ser capaz de fazer coisas que você pensava que nunca conseguiria e ao mesmo tempo pensar na quantidade de coisas que deixou de fazer por esse motivo. Mas a bola é pra frente e não temos que lamentar o que passou, apenas dar nosso melhor para o que vem a seguir.

Tive uma ligação muito forte comigo mesma em um momento que eu precisava muito disso. Foi um impulso para me tornar a mulher que sou hoje (e que ainda estou me tornando, porque a gente sempre muda né)

O sentimento de que você pode tudo, de saber que ultrapassou uma barreira que parecia impossível para você, superou um medo enorme e no final das contas vê que nem foi tão difícil assim. Saber que no final você apenas nunca tinha se esforçado para chegar ali.

As pessoas na nossa vida são muito importantes e isso eu não tenho dúvidas. Mas você, é a pessoa mais importante da sua vida. E quando você se dá conta e vive esses dois, é um sentimento indescritível. Porque não é mais dependência. Viajei sozinha e quando voltei para Hamburgo minha amiga estava me esperando para comemorar essa vitória comigo 🙂

E digo mais: eu sinto que esse passo que eu dei me mudou para sempre. Foi um investimento no meu pessoal, algo que trouxe uma sensação que eu nunca mais vou perder: que eu não preciso de ninguém para fazer as coisas que eu quero fazer. Sentimento de autossuficiência.

Então minha dica de blogueirinha de hoje é: se você está se sentindo meio perdida na vida e parece que as coisas não fazem muito sentido, dê um tempo para si e faça coisas que tem vontade de fazer mas que existe algum bloqueio ali no meio que te impede.

A má notícia é que as coisas vão continuar sem fazer sentido mas em contrapartida você vai ter uma vitória pessoal que ninguém tira de você e isso vai te fazer mais forte para viver tudo o que não faz sentido na vida.

Eu não quero ficar aqui me pagando de Ghandi, até porque todo mundo que me conhece sabe que eu sou super dramática etc. Mas eu acho que vale muito a pena tirar um tempo para conhecer melhor sobre você mesma.

Essa experiência toda que a Europa vem me trazendo faz com que eu descubra coisas que eu gosto e coisas que eu detesto e nunca soube porque eu apenas nunca fui muito de aproveitar minha própria companhia. Sempre estive rodeada dos meus amigos ou da minha família.

Foi uma mudança muito brutal, porque até então tinha passado 2 meses com minha amiga, dia e noite, 24 horas por dia e de repente eu me vi em Lisboa, sozinha e foi nesse tempo que eu fui obrigada a curtir a minha própria companhia. Chegar em casa e estar sozinha, fazer um jantar só pra mim, beber um vinho, assistir um filme.

Mas também tem os dias que eu chego em casa, vejo a porta da Kelly fechada e olho pela fresta pra ver se ela está acordada. Mesmo sabendo que sim, eu falo baixinho “ei, você tá acordada?” (também tem as vezes que eu acordo ela hahaha). Mas isso tudo pra falar que amar sua companhia não elimina amar a companhia dos outros.

Conhecer a si mesmo é um investimento pessoal e vale cada segundo.

Ps. eu terminei esse post com muita vontade de chorar. De emoção mesmo. De ler e reler tudo o que eu escrevi e sentir esse crescimento pessoal que foi tão importante pra mim. EU CONSEGUI, PUTA QUE PARIU. Sabe? É tudo muito emocionante pra mim.

beijin.

Deixa um oi aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *